Thursday, October 26, 2006

O meu sobrinho é uma jóia de moçe

O meu sobrinho é uma jóia de moço.Ainda mal tem 3 anos e meio e já é um baluarte da macheza.Contava ele as peripécias do dia no colégio ao pai:

-Paaaai, a Ana(educadora) esteve a contar uma história aos meninos e queria que eu fosse a Carochinha mas eu não quis porque eu sou o João Ratão...


Facto 1 - O meu sobrinho tem uma ganda pilinha
Facto 2- O Cláudio Ramos e o José Castelo Branco de certeza que foram Carochinhas
Facto 3-O Tio num carnaval quando era criança mascarou-se à Batman
Facto 4- Obviamente que o Tio tem uma ganda pilinha

Querem ciência mais exacta que esta?

Wednesday, October 25, 2006

Sobre o amor

eu amo
tu amas
ele/ela ama
nós amamos
vós ameis
eles/elas amam

Para aquelas criaturas que vivem em miséria e que nunca conseguem conjugar este verbo, mas que com estranha facilidade conjugam outros tão sérios quanto este, e tão negativos quanto este tem de positivo…

Às pessoas que durante o dia conseguem dizer a brincar a um amigo – Eu odeio-te! – mas que guardam para si só a palavra do amor, esperando que surja um ser ideal a quem dedicar e em quem encerrar toda esta grande palavra… a essas pessoas eu esclareço, que o amor é um estado de espírito e não um avatar emocional, o amor é algo tantas vezes efémero quantas duradouro, e nestes dois extremos não me atrevo a hierarquizar entre eles, qual dos amores o mais forte… porque são diferentes… Um grande mestre desta matéria escreveu:

Canção do Engate

Tu estás livre e eu estou livre
e há uma noite para passar
porque não vamos unidos
porque não vamos ficar
na aventura dos sen tidos
Tu estás só e eu mais só estou
que tu tens o meu olhar
tens a minha mão aberta
à espera de se fechar
nessa tua mão deserta
Vem que o amor
não é o tempo
nem é o tempo
que o faz
vem que o amor
é o momento
eu que eu me dou
em que te dás
Tu que buscas companhia
e eu que busco quem quiserser
o fim desta energiaser
um corpo de prazerser
o fim de mais um dia
Tu continuas à esperado melhor que já não vem
e a esperança fio encontrada
antes de ti por alguém
e eu sou melhor que nada

António Variações

Então o conceito, o sentimento prende-se a fenómenos muito simples, a vontade de estar com alguém quando acordas, adormecer a pensar nessa pessoa, ou simplesmente alguém com que cruzaste olhar no comboio (sim, na Linha de Sintra acontece muito).
No fundo podes guardar eternamente essa palavra para ti e nunca a dizeres a ninguém, e isso nem quer dizer que não o tenhas sentido alguma vez, simplesmente não o comunicaste a alguém, pelo menos por palavras, e isso por vezes quer dizer que também não o assumiste como tal, que vives internamente um amor mascarado de outra coisa menos importante… se nunca assumires que amas nunca amarás de verdade.
Deixo aqui cortado e colado em pedaços, uns trechos e excertos da enciclopédia do amor, escrita e cantada por alguns dos mestres de referencia sobre o assunto em cima da mesa, (gosto tanto, em cima da mesa…)

O Quereres

Onde queres revólver sou coqueiro, onde queres dinheiro sou paixão
Onde queres descanso sou desejo, e onde sou só desejo queres não
E onde não queres nada, nada falta, e onde voas bem alta eu sou o chão
E onde pisas no chão minha alma salta, e ganha liberdade na amplidão

Onde queres família sou maluco, e onde queres romântico, burguês
Onde queres Leblon sou Pernambuco, e onde queres eunuco, garanhão
E onde queres o sim e o não, talvez, onde vês eu não vislumbro razão
Onde queres o lobo eu sou o irmão, e onde queres cowboy eu sou chinês
Ah, bruta flor do querer, ah, bruta flor, bruta flor
Onde queres o ato eu sou o espírito, e onde queres ternura eu sou tesão
Onde queres o livre decassílabo, e onde buscas o anjo eu sou mulher
Onde queres prazer sou o que dói, e onde queres tortura, mansidão
Onde queres o lar, revolução, e onde queres bandido eu sou o herói
Eu queria querer-te e amar o amor, construírmos dulcíssima prisão
E encontrar a mais justa adequação, tudo métrica e rima e nunca dor
Mas a vida é real e de viés, e vê só que cilada o amor me armou
E te quero e não queres como sou, não te quero e não queres como és
Ah, bruta flor do querer, ah, bruta flor, bruta flor
Onde queres comício, flipper vídeo, e onde queres romance, rock'n roll
Onde queres a lua eu sou o sol, onde a pura natura, o inceticídeo
E onde queres mistério eu sou a luz, onde queres um canto, o mundo inteiro
Onde queres quaresma, fevereiro, e onde queres coqueiro eu sou obus
O quereres e o estares sempre a fim do que em mim é de mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal, bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal, e eu querendo querer-te sem ter fim
E querendo te aprender o total do querer que há e do que não há em mim

Carlos Coutinho

Sempre pensei que tivesse sido o Chico Buarque a escrever... de qualquer das maneiras cantada por ele e pelo Caetano Veloso é notavel e ganha outra força...
http://www.youtube.com/watch?v=97JGiKnzsKc&feature=PlayList&p=7C356629EA83509D&index=4

(...) Eu quero a sorte de um amor tranquilo(...)

Pois queres Chico, não queremos todos?
O Chico também percebe muito de amor, é outro mestre, e na sua obra ele diz tudo sobre o desejo de amar, quando já antes se amou e descambou…

Anel de rubi…

tu eras aquela que eu mais queria
pra me dar algum conforto e companhia
era so contigo que eu sonhava andar
pra todo o lado e ate quem sabe talvez casar
ai o que eu passei so por te amar
a saliva que eu gastei para te mudar
mas ese teu mundo era mais forte do que eu
e nem com a forca da musica ele se moveu.
mesmo sabendo que nao gostavas empenhei o meu anel de rubi
para te levar ao concerto que havia do rivolie
era so a ti que eu mais queriaao meu lado no concerto nesse dia
juntos no escuro de mao dada a ouvir
aquela musica maluca sempre a subir
mas tu nao ficaste nem meia hora
nao fizeste um esforco pra gostar e foste embora
contigo aprendi uma grande licao
nao se ama alguem que nao ouve a mesma cancao
mesmo sabendo que nao gostavas empenhei o meu anel de rubi
para te levar ao concerto que havia do rivoli
foi nesse dia que percebi nada mais por nos havia a fazer
a minha paixao por ti era um lume
que nao tinha mais lenha por onde arder
mesmo sabendo que nao gostavas empenhei o meu anel de rubi
para te levar ao concerto que havia do rivoli

Rui Veloso

os anéis desta era são diferentes… não são sequer joalharia… maquinas fotográficas digitais entre outras coisas… mas continua a dar para perceber quando acontece, numa relação a dois, um dá sempre mais do que o outro e isso é natural. Torna-se um problema quando o desequilíbrio é muito grande, é como um pequeno barco com um grande buraco, e haverá sempre muito sofrimento a entrar… o conselho é perceberem o mais depressa aquilo que o Rui vos tenta dizer, percebam se ouvem a mesma musica, se há sintonia, e se não houver saltem antes que se queimem, ou antes que fiquem a arder, com a prestação de um presente dispendioso…


O Caetano Veloso faz alusão à mesma matéria, indicando o mesmo percurso numa relação… no fundo se não gostas de alguém o suficiente, porque não liberta-lo para que esse alguém procure um amor mais equilibrado…todos merecemos amar e ser amados de forma equilibrada… Tenho falado muito de equilíbrio, bem, porque acredito que será a palavra que melhor descreve o que se procura nos sentimentos que soldam uma relação.


s vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado,
juntandoo antes, o agora e o depois
por que você me deixa tão solto?
por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!
Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém
por que você me esquece e some?
e se eu me interessar por alguém?
e se ela, de repente, me ganha?
Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me enganaou não está madura
onde está você agora?
Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me enganaou não está madura
onde está você agora

Caetano Veloso
Porque é nobre admitir o nosso amor, a nossa paixão...porque é lindo faze-lo às claras...

Valsa de um homem carente

Se alguma vez te parecer
ouvir coisas sem sentido
não ligues, sou eu a dizer
que quero ficar contigoe apenas obedeço
com as artes que conheço
ao princípio activo
que rege desde o começo
e mantém o mundo vivo
Se alguma vez me vires fazer
figuras teatrais
dignas dum palhaço pobre
sou eu a dançar a mais nobre
das danças nupciais
vê minhas plumas cardeais
em todo o seu esplendor
sou eu, sou eu, nem mais
a suplicar o teu amor
É a dança mais pungente
mão atrás e outra à frente
valsa de um homem carente
mão atrás e outra à frente
valsa de um homem carente
Jorge Palma


Este artigo poderia estar eternamente aberto e íamos adicionando musicas e letras e poemas que lhe aumentariam o caudal de razões… pois sei que todos vocês neste momento já se lembraram de outra musica… outro poema, que gostariam de ver aqui referido…pois bem, fica o desafio!

Deixo uma ultima canção... que vale pela inocência... pela beleza de um amor cmo o que o Chico Buarque deseja...

Cinderela

Eles dão duas crianças
a viver esperanças, a saber sorrir.
Ela tem cabelos louros,
ele tem tesouros para repartir.
Numa outra brincadeira
passam mesmo à beira sempre sem falar.
Uns olhares envergonhados
e são namorados sem ninguém pensar.
Foram juntos outro dia,como por magia, no autocarro, em pé.
Ele lá lhe disse, a medo:
'O meu nome é Pedro e o teu qual é?'

Ela corou um pouquinhoe respondeu baixinho:
'Sou a cinderela'.
Quando a noite o envolveuele adormeceu e sonhou com ela...

Então
Bate, bate coração
Louco, louco de ilusão

A idade assim não tem valor.
Crescervai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.
Cinderela das histórias
a avivar memórias, a deixar mistério
Já o fez andar na lua,
no meio da rua e a chover a sério.
Ela, quando lá o viu,
encharcado e frio, quase o abraçou.
Com a cara assim molhada
ninguém deu por nada, ele até chorou...
Então ...
E agora, nos recreios,
dão os seus passeios, fazem muitos planos.
E dividem a merenda,
tal como uma prenda que se dá nos anos.
E, num desses momentos,
houve sentimentos a falar por si.
Ele pegou na mão dela:
'Sabes Cinderela, eu gosto de ti...'
Carlos Paião

Sunday, October 22, 2006

Iniciação à entrevista

Este sábado participei numa “workshop” muito interessante, sobre ”Iniciação à entrevista e à reportagem”, o formador era realmente bom, um dos melhores jornalistas nacionais, com muita experiência na bagagem e com milhares de histórias para contar.
Ensinou-me como preparar uma entrevista, a preparar o que antecede a entrevista, a entrevista propriamente dita e o pós entrevista.
Mas a meio das explicações do conceituado formador, dei por mim, a ouvir tudo o que o mestre explicava, mas a aplicar os conceitos a outro tema que nada tem a ver com o jornalismo, ou se calhar tem, eu é que nunca tinha pensado nisso.

Sabem, quando temos que partilhar meia dúzia de palavras que nos incomodam, que nos picam, que nos trazem ansiedade, com a pessoa com quem mantemos uma relação?
Sabem como é aquela sensação de querer saber a verdade, toda a verdade, mas não saber que volta dar às palavras para não magoar a nossa cara metade, e ao mesmo tempo conseguir a informação que tanto almejamos?


Pois bem, acho que graças ao que aprendi sobre a “arte” de entrevistar, não vou ter muitos problemas da próxima vez que disser: “Amor, temos que falar...!”

Em primeiro lugar devemos ter em consideração o tipo de entrevistado (namorado) que temos entre mãos, pois este pode ser:

Monossilábico, e neste caso o entrevistador tem de multiplicar as perguntas para conseguir a informação que pretende.

“Estás triste?”
“Não.”
“Então que cara é essa?”
“A minha.”
“Já não gostas de mim?”
“Gosto”.
“Então o que se passa?”
“Nada.”

Falador compulsivo, fala, fala, fala e não diz nada, limita-se a fugir às perguntas que são feitas, neste caso o entrevistador deve interromper e colocar outra questão para mostrar ao entrevistado quem manda.

“O teu casaco está com um cheiro tão enjoativo...!! Onde é q andaste?”
“Querida, estava com tantas saudades tuas, foste ao cabeleireiro, não..!! É o teu cabelo que está sempre lindo e perfeito, e tens uns sapatos novos? São tão giros! E o jantar, já fizeste jantar? Podemos ir jantar fora e ir ao cinema, ou então...”
“Ou então respondes-me à merda da pergunta que te fiz há 10 minutos!!!!”

Confuso, não é claro ...as respostas são dúbias, neste caso não devemos hesitar em pedir esclarecimentos.

“Sinto que andas um pouco ausente, queres terminar? Já não te sentes bem na minha companhia?”
“Não, não é nada disso, eu adoro-te muito, és a mulher da minha vida, és tão perfeita que nem sei o que viste em mim, mas sabes...? O fantasma da relação anterior...não consigo esquecer a Cátia Odete, mas adoro-te! Mas acho que se me envolver demais contigo, posso esquecer a Cátia Odete e ela foi importante na minha vida. Mas amor, eu só te quero a ti!
“Tens 1h hora para decidir entre mim e a porta da rua, que é como quem diz, “a Cátia Odete”!”

O professoral, usa palavras caras, é erudito, exibe de forma exuberante a sua cultura. Esclarecer palavra, por palavra, na hora! Para não perdermos tempo a decifrar termos e conceitos quando chegarmos a casa.

“Podes sentar-te ao meu lado? Temos que falar!”
“Menina que faz o meu coração palpitar com tamanho fulgor, que me leva aos píncaros do prazer carnal, porque está assim tão irascível?”
“Irascível? Vais conhecer o novo significado da palavra irascível se continuares com essa conversa da treta!”

O irónico, tem que ser bem estribado, nada de nos deixar levar por ironias.

“Nunca mais chegavas! Estava a ficar com muitas saudades, porque chegaste tão tarde?”
“Olha, estive com duas gajas num motel com paredes forradas a veludo vermelho, tecto de espelho, e um jacuzzi, e estivemos a praticar sexo selvagem até agora...!”
“Com a verdade me enganas??!!”

Manipulador, usa truques sujos para não dizer o que queremos ouvir.

“Quem foi a tua melhor amante?”
“Estás a fazer essa pergunta porque estás a querer dizer que já dormiste com homens que te deram mais prazer que eu? É isso? Tu magoas-me...já estou a chorar, tu acabas comigo, não aguento mais isto, os outros são sempre melhores que eu...então porque estás comigo??”
“Desculpa, amor! Não era nada disso que eu pretendia, pronto vamos mudar de assunto, sou uma idiota, nem sei porque motivo fiz tal pergunta!”

Resistente, evita falar sobre o tema em questão e usa com frequência a expressão: “Sobre isso, não quero falar!”

“Quando é que a tua mãe deixou de tirar as espinhas do teu peixe, quando é que a tua mãe deixou de desossar o teu frango, quando é que deixou de te descascar a fruta?”
“Que parva, não quero falar sobre isso!”

Deixo aqui mais algumas dicas:
Nunca orientem a vossa pergunta para a resposta que tencionam obter, por mais que isso possa custar, por exemplo: “Gostas de estar comigo, não gostas?”.
Prefiram perguntas abertas: “Como?” ,“Porque?”, não façam perguntas que possam ter como resposta um “sim”, “não” ou “talvez”.
Não deixar passar em claro, meias verdades ou contradições, isso é adiar felicidade e alimentar ansiedade.
Após a entrevista/conversa, não arrumar as coisas e sair à pressa. No calor do leito, podemos aproveitar para em “off record”, tentar desvendar pequenos mistérios.

E acho que já vos transmiti o essencial, se não souberem estabelecer uma conversa com o vosso mais que tudo, nada como consultar um manual de jornalismo, deixem de lado os conselheiros matrimoniais, procurem jornalistas reconhecidos!

Sunday, October 15, 2006

Speed-Dating - Parte 2

Pois bem, o meu último post faz referência a uma modalidade que não sendo nova está a implementar-se de forma mais concreta no quotidiano dos muitos(as) solteiros(as) do nosso Portugal. A colega Ana Amsterdam, a este respeito, escreveu o seguinte comment:

"Realmente, parece-me suficiente 4 min! São suficientes para arranjar um parceiro que possa aliviar alguma tensão sexual.Até pq segundo consta as mulheres escolhem os seus parceiros mais "fixos" ou mais "pontuais" de acordo com algumas características do rosto do cavalheiro.Portanto 4 min são suficientes para executar essa meticulosa escolha."

Quero acreditar que ela brincava quando o escreveu mas gostaria de lhe lançar um desafio porque me intriga de sobremaneira os processos mentais femininos quando se trata de analisar um especimen masculino baseando-se unica e exclusivamente nos seus traços físicos.De seguinda apresento três fotografias tiradas da internet tiradas mais ou menos ao acaso e que de alguma forma mostram individuos de caracteristicas diferente, ora moreno com aspecto rude, ora loirinho de olhinho azul à surfista ou sensível.Gostaria de saber que conclusões tiras das características do rosto de cada um dos cavalheiros.Se ele é bonito, se é boyfriend material, se é culto, qual seria a profissão dele, etc, etc, etc.No fim peço-te para escolheres o que te agrada mais.Até Breve.

Wednesday, October 11, 2006

Speed-Dating

"De um lado, mulheres, do outro, homens. Elas ficam sentadas nas mesas, durante as duas horas do encontro, enquanto os cavalheiros vão ter de «rodar» para conversarem quatro minutos com cada uma das participantes.
A organização sustenta que os quatro minutos são suficientes para que os participantes se apercebam se têm ou não afinidades e cita um estudo da universidade norte-americana do Ohio que indica que este é o tempo necessário para que as pessoas se apercebam se querem aprofundar uma relação e «para onde a querem levar».
No fim da conversa, assinalada com o toque de um sino, os participantes tomam notas num cartão. Os resultados são posteriormente transmitidos à organização, que se encarrega, quando ambos manifestam um interesse mútuo para fins de amizade ou para novo encontro, de trocar os respectivos contactos entre os participantes."


Fonte:Diário Digital

Sobre o Speed-Dating:
Claro que esta modalidade tem os seus pontos fortes como só ter que as aturar a falar durante 4 minutos de cada vez, mas tambem tem pontos fracos como a impossibilidade de as escolher de acordo com um critério fundamental para nós homens uma vez que elas estão sempre sentadas.Esse critério fundamental é naturalmente a avaliação do rabiosque. Mas apesar de ser uma universidade americana, apesar de ser do Ohio, continuo a achar que mesmo assim é um disparate demasiado grave, mesmo sabendo de quem vem, que 4 minutos são mais que suficientes para os participantes saberem o suficiente sobre a pessoa com quem falam. Sim estou mesmo a imaginar o Unabomber a ir a um encontro de Speed-Dating em conversa com uma menina de Figueiró dos Vinhos...chamemos-lhe Bruna Alexandra :

Unabomber-Olá coisa boa!Como tens passado? (Sim, a fantasia é minha e nela o Unabomber fala fluentemente português)

Bruna Alexandra-Olá, sou a Bruna de Figueiró dos Vinhos, tenho 26 anos e trabalho como caixa no Minipreço lá da terra.

U-Eu sou o Unabomber mas podes tratar-me por Unabomber.Sou um dos fundadores do movimento anarco-primitivista, um movimento explosivo diria mesmo.

BA-Uau isso é tipo...Demais Mesmo!Pareces ser um tipo inteligente e esses óculos Ray-Ban ficam-te a matar!!Tens hobbies?Eu adoro passear o Patchi, que é o meu terrier, conhecer pessoal no HI5 e não perco um episódio da Floribela.

U-Sim, licenciei-me em Harvard e tirei um Doutoramento em Matemática na Universidade de Michigan.Hobbies?Sou mais Morangos com Açucar, esta última série está de mais mesmo!AH, e adoro escrever cartas...

BA-Talvez um dia me escrevas uma carta...
(risos inocentes mas que indicam disponibilidade para sexo à bruta ainda esta noite)

U-Sim, prometo-te que nesse dia vais explodir de contentamento!!

BA-Uau, tu és fresco és...

U-E tu gostas pouco gostas...

BA-Mas diz-me...que carro conduzes e qual a tua relação com os teus vizinhos e amigos?

U-Eu conduzo uma carrinha de caixa fechada e os meus vizinhos e amigos sabem que eu era incapaz de fazer mal a uma mosca.Consideram-me um tipo introvertido mas simpático mas pouco dado à sociabilidade e é por isso que estou aqui...digamos que tive uma explosão súbita de coragem.Mas estou contente por te ter conhecido...és uma bomba de mulher!

BA-Hihihihihihihi

Neste momento o sino toca porque se esgotaram os 4 minutos. O gajo levanta-se para a próxima mesa.Senta-se e dá de caras com a Margarida Rebelo Pinto.Ele imadiatamente levanta-se e corre disparado para fora do recinto com uma expressão de medo e terror nunca vistos em nenhum homem.

Monday, October 09, 2006

O Gang do Salmão

Antes de me alongar sobre o tema que vos trago gostaria de pedir desculpa pela minha "ausência" do Blog. Comecei há 9 semanas e meia uma digressão nacional com o meu seminário sobre a importância de dar uma alcunha ao pénis quando se está numa relação. "O Indomável" ou "Leão Absoluto" são nomes a ter em conta. "Pikikas" ou "Nhoquinhas" são nomes a evitar. Para mais informações e datas aceder ao site www.seminariodojaime.org
Se o site estiver em baixo é porque as visitas têm sido muitas e o servidor encontra-se habitualmente em baixo.

Nesta digressão tive oportunidade de correr o país de lés a lés, inclusivamente os Açores e o Feudo do Alberto João Jardim, e constatei que existe pela primeira vez um gang em Portugal que tem um tecido social que se estende por todo o território nacional e que este Verão ganhou uma visibilidade nunca vista. Falo-vos do Gang do Salmão. O Gang do Salmão é um gang composto unica e exclusivamente por elementos do sexo "masculino" e estes costumam usar bastante gel, calças bastante gays e escolhem sempre uma T-Shirt bastante Cor-de-Rosa que se prontificam a justificar que se trata de cor-de-salmão e que por isso não é gay.

Meus caros...acordem!Um homem que saiba distrinçar o cor-de-rosa do côr-de-sãlmão é completamente gay!

Escrevi sobre isto porque gostava de saber o que as minhas colegas têm a dizer sobre este gang.O elemento do gang do Salmão é verdadeiramente atraente?É que a mim só vejo duas estratégias que levam um homem a vestir cor-de-rosa:

Ou é do tipo "oi jeitosa, eu uso cor-de-rosa porque sou um tipo sensível"
ou então é do tipo "oi querida, eu uso cor-de-rosa porque sou gay...não queres vir mudar-me?"

Thursday, October 05, 2006

Fast Food

Vivemos numa era onde impera o consumismo, dei por mim a pensar como seria bom fazer um homem da mesma forma que se faz um menú em qualquer shopping onde impere a fast food.
Normalmente podemos escolher os ingredientes da salada: “Alface, ovo cozido, frango, pode colocar também um pouco de tomate por favor, e...para completar...deixe-me pensar... Ah! Pode colocar molho vinagrete.”

Ou: “Queria um cone com: morango, nata, chocolate e...molho de chocolate quente e lâminas de amêndoa, por favor!”

Agora meninas, imaginem: “Olhe! queria um moreno, de cabelo desgrenhado, com os olhos azuis do Chico Buarque, não tem? Então, com os olhos misteriosos do Deep, pode ter aquela barbinha agradável típica de um verdadeiro cafageste latino. Para completar?.... bem...hoje apetece-me algo romântico, pode rechear com um conteúdo romântico, logo à noite preciso de alguém para me preparar um banho energizante, preciso de uma massagem, de alguém que veja um filme pegajoso na minha companhia, que me leve para a cama e aconchegue os lençóis. Sim...definitivamente, hoje vai um romântico!


E pronto!!! Feitinho...! Tudo bem, perdíamos a parte engraçada da sedução...mas era uma solução para os dias em que nos sentimos mais sozinhas, para quando não temos novos amores e não queremos contactar os velhos ( sempre uma má solução, sai sempre o tiro pela culatra...fala a voz da experiência!).

É uma sugestão... aposto que seria um negócio rentável..! Podemos abrir uma sociedade...para começar podemos fazer uma promoção, apenas para primeiro mês: Leve 2 e Pague 1!

Monday, October 02, 2006

Alto e pára o baile!!!

Venho por este meio fazer uma reclamação/desabafo… Cadé os Homens?! Para onde quer que se ande só somos confrontadas com duas realidades… Uma de borregos e outra de homossexuais!!! Assim não dá meus amigos… cadé os belos espécimes masculinos que outrora se poderia vislumbrar a cada passo que se dava? Aqueles com quem podias trocar mais do que meia dúzia de palavras sem que o encanto se evaporasse? E aqueles em que colocavas a mão no fogo quanto à sua virilidade? Acho que anda a virar moda ser homossexual, não entendo… ou então é mesmo verdade o que se diz… depois de experimentarem não querem outra coisa! Dio mio, se já existem mais mulheres que homens no planeta… e se desses homens 60% são homossexuais (acho que estou a estimar a percentagem por baixo!) como ficamos nós?! Parem com esta moda!!! E se não bastasse temos que levar com cenas em publico, e sim não tenho fetiche nenhum de ver dois homens a beijarem-se!

PS: Não tenho nada contra homossexuais, espero não ter ferido ninguém com este post mais para desabafo que outra coisa.